sexta-feira, 12 de março de 2010

Genética e o Dogo Argentino - Parte III - FIM

" Uma vela não perde a luz por compartilhar com outra "
...


Um exemplo para ser mais didático:

Gene paterno determinando focinho médio; gene materno descriminando focinho longo. Tendo um só focinho, a cria não poderá atender a esses dois genes. Em tais casos, um subjugara o outro. “O vencedor será qualificado como “Dominante”, o vencido como “ Recessivo”. O doguinho nascerá com focinho longo, mas terá, em suas células germinativas ( aquelas que farão seus futuros filhos ) a presença daquele gene recessivo, determinador do focinho médio de correta proporção. Esse filhote, embora ostentando o focinho longo, não será “puro” para o fator “comprimento longo de focinho”, e sim híbrida. Se cruzarmos dois Dogos desse genótipo, embora ambos tenham focinhos longos, produzirão, provavelmente, 50% de crias com focinhos Médios.



Ch Mundial Indio do Bravura del Ayar


Porém, se acasalarmos dois indivíduos, ambos reconhecidamente “puros” para o fator comprimento longo de focinho, todas as crias nascerão com focinhos longos.
Esses cães terão herdado dois genes de focinho longo, um paterno e outro materno, daí serem puros para o fator, isto é, são “ Homozigoticos”, em contraposição aos híbridos que são “Heterozigóticos”, os portadores de fatores diversos ou desiguais. Isso funciona para CADA item de um animal.

Tendo-se já uma idéia, embora pequena, da importância da homozigose ou pureza, podemos compreender porque os fatores em homozigose dominam ou tem mais força genética. Ou seja, uma força igual a dos fatores dominantes. Ou um FATOR, embora dominado ou recessivo, estando em homozigose, aumenta de tal modo sua força que se impõe a outro dominante, mas enfraquecido por estar em Heterozigose. No exemplo do focinho: o focinho longo dominando o médio. Se este estiver em homozigose e aquele não, o longo aparecerá em número maior de crias do seria de esperar.




Uran ou Falucho do Bravura del Ayar na Europa - Ivona

São as variações desses genes, como o que controla a tipicidade, tamanho e angulação, que produz as variações ( ou famílias / linhas de Sangue ) dentro da raça Dogo Argentino.

Como é isso na pratica?

*) Primeiro passo é determinar com que população se quer trabalhar e qual o Objetivo. No nosso caso ele é bem definido. Mas poderia ser: magro, mais osso, mais agressivo etc.

*) Determinar por medições, observação, pesagem, as mensurações que serão realizadas nessa população para atingir seu objetivo. Acompanhando as ninhadas e ANOTANDO tudo. Com isso sabe-se índice de displasia quando cruzamos A x B, tipos de cabeça, etc e até temperamento ( embora seja a integração genética com ambiente na formação do comportamento ).

*) Determinar a Herdabilidade da característica a ser trabalhada.

Portanto, uma seleção cuidadosa dos cruzamentos é importante, mas a seleção cuidadosa dos filhotes resultantes da ninhada é também importante para cumprir os seus objetivos genéticos.




Trabalhos genéticos ou características dominantes devem ser estabelecidos cedo, mas inserida num plano de criação de longo prazo. Eles irão demorar varias gerações para serem fixadas. Características com uma predominância de genes dominantes irá se tornar fixa de uma maneira mais lenta, uma vez que o indivíduo Heterozigoto ( Aa ) na raça não será diferenciado de uma forma imediata de um indivíduo Homozigoto dominante ( AA ). Característica de genes recessivos desejados pode ser fixado em uma geração porque os indivíduos que mostram essas características são homozigotos para os genes recessivos. Linhas de sangue ou cães que foram criados por intermédio de vários cruzamentos e gerações devem ser preferencialmente selecionadas para o seu plantel. 


Isso em função grau de homozigozidade dominante ( AA ) e pelos genes desejados ( quando se quer ) Recessivos (aa).


Tudo isso nos leva  a uma simples, e nem sempre fácil, conclusão :  


Um CRIADOR somente é reconhecido como tal pela homogeneidade de plantél, pelo histórico de criação e não pelo status de um único animal que, em sua maioria, nascem como obra do acaso e não como resultado de um trabalho consciente. 


Falar de Dogo no mundo virtual ou cruzar simplesmente A X B faz de você um " Doguero " tanto quanto entrar numa garagem faz de você um carro. 


Sorte até faz parte. Mas não por tanto tempo e em tão larga escala...


Você precisa saber o que esta fazendo.





OPaiva

FIM

A reprodução integral ou parcial de textos originais deste blog depende de autorização prévia Lei 9.610, de 19/02/1998. Todos os Direitos Reservados

Um comentário:

Marcio disse...

Lendo estas explicações, entende-se porque muita gente compra cães de determinados "criadores", e fica muito decepcionado com o resultado, criação é coisa séria.

Marcio

CORTE DE ORELHAS - SUA IMPORTÂNCIA NA RAÇA DOGO

Que o bem possa sempre vencer o mal. Que possa nos dar a proteção e força  que tanto buscamos para enfrentar os desafios pelos quais...