domingo, 17 de janeiro de 2010

Genética e o Dogo Argentino - Parte I




" Relendo alguns artigos meus de épocas passadas, encontrei alguns esclarecimentos sobre dúvidas envolvendo a criação da Raça Dogo Argentino.


No intuito de partilhar um pouco da nossa experiência, foi dado um resumo sobre alguns tópicos que acreditamos ser de boa valia à aqueles que buscam aprender um pouco mais sobre a nossa raça. "

Pucará do Bravura del Ayar
“ _Se eu possuo um dogo de altura próxima aos 68cm e cruzo com uma fêmea de 60cm o que me pode sair em 10 filhotes? Quantos altos, quantos baixos? Algum mediano? Todas as fêmeas serão baixas? Todos os machos altos?
_E se cruzar uma fêmea alta com um macho baixo? Teremos a mesma proporção esperada? Quem será alto ou baixo?
_Alguém conseguiria responder estas questões?”
Costumo dizer que : Talvez numa fábrica de carros, batedeiras de bolo ou relógios tenhamos condição de saber. Falamos em seres vivos e portanto, não trabalha-se com números absolutos e sim tendências e probabilidades. A genética lhe fornece parâmetros, não certezas.
_Quantos baixos, quantos altos ? É IMPOSSÍVEL PRECISAR. Alias não cabe em NENHUMA CRIAÇÃO DE SERES VIVOS essa indagação.

"_Se eu Busco selecionar cabeças típicas da raça Dogo Argentino, como eu deveria proceder além de usar pai e mãe de cabeças típicas ? Uma cabeça correta tem mais " prepotência" que uma incorreta ? Machos de cabeças excelentes passam isto com mais facilidade do que fêmeas com cabeças excelentes ? Espera-se o quê dos filhotes ?"
Existe uma coisa chamada ligação gênica onde genes muito próximo do cromossomo são herdado em bloco. O famoso “Crossing over” da meiose não separa os genes dos diferentes locos. Que pode ser uma ligação completa ou parcial por isso algumas características boas e ruins são herdadas juntas.
Talvez se usarmos a raça humana fica mais fácil a idéia dos grupos de vinculação.
Se examinarmos um indivíduo, puro da raça Japonesa, por exemplo, constataremos que, junto com os olhos amendoados, cor de epiderme, apresenta-se vários outros fatores em grupo: Cabelo liso, crânio um pouco mais plano, estatura mediana, ombros largos, orelhas pequenas, etc.
O mesmo sucede em todas as demais raças, inclusive nos cães. Acredita-se na vinculação de todos os genes do mesmo cromossomo, por isso, acompanhando o focinho longo no Dogo Argentino podem aparecer outras características não desejáveis, como costelas planas, falta de stamina, fraqueza óssea...
É por isso que as vezes é complicado “quebrar a cadeia”. Quantas vezes nós já não falamos: "Se tal filhote sair com a cabeça do Pai e com o corpo da mãe..."
No Dogo, desculpe pela repetição, ela está mais aplicada às linhas de sangue de alguns criadores na Argentina de onde buscamos as matrizes. Cabe a cada um corrigir pedigree, saber os verdadeiros pais, saber dos problemas já consolidados no criador, conhecer ancestrais, ver fotos, conhecer os irmãos de ninhada, saber se a linha é pura, se tem muito de Bull terrier, Dog Alemão, Pit, etc, no seu passado, e, se constatar algo assim, estudar essas raças a fundo sobre suas doenças particulares e características.
Dessa forma tentar realizar as correlações nas sua criação e claro, com observação de anos nos seus animais você PODE SIM ter um grau de acerto acima de 50% para determinadas características tanto boas como ruins. E isso quando quantificado de forma estruturada, aplicada a um bom conhecimento de genética, traz resultados incríveis. Há uma cavalar diferença sobre ler sobre o assunto no google, yahoo e livros de faculdades versus a prática da criação em si.

Outra coisa: É sabido que as mesmas características em criaderos diferentes, são em um dominante e no outro recessivo. Portanto, exige outras abordagens e grande conhecimento do que se cria cada vez que se aporta novos animais para a sua criação.
_O que importa saber sobre os alelos se a raça é ainda um grupamento de tipos ?

Continua...
-Por Oswaldo Paiva

A reprodução integral ou parcial de textos originais deste blog depende de autorização prévia Lei 9.610, de 19/02/1998. Todos os Direitos Reservados

9 comentários:

Marcio disse...

Ola Osvaldo, gosto muito de ler os seus comentários, este por exemplo mostra que não é só cruzar os cães, e sim ter muito conhecimento e amor pelo que faz.

Abraço

João Paulo Jacob - Manaus disse...

Cara Oswaldo muito bom seu post, principalmente para mim que inicio na criação da raça dogo argentino.Agora bem que voce poderia me dar a dica dessas planilhas ein hahahahah.Valeu Abs

stanley disse...

Oi Oswaldo ,sou de Manaus e sempre estou olhando seu site,blog ,fico até agradecido por seu trabalho que quando chega a hora e nós partimos para a compra,existam pessoas como voce ,que tem alegrias e tristezas ,acertos e erros e se dedica ao estudo de melhoria para que recebamos em nossa casa,um cão realmente fantático.

Stanley

Anônimo disse...

Marcio, João e Stanley, Agradecemos o carinho e os comentários...
Apenas nos esforçamos em por em prática o que falamos e pensamos.

Os nossos animais são as maiores evidências desta realização.

abs

Bravura del Ayar

Anônimo disse...

Really interesting

Is the image coming from the new software from Carmen Battaglia?

Thanks

Sophie

Anônimo disse...

No Sohpie. This was done by myself especific for Dogos.

Regards

Oswaldo Paiva

Anônimo disse...

Nice! Is it possible to see it, download it somewhere? The stick dogs are verry useful for me too!

Thanks

Sophie

Anônimo disse...

Sophie...

Don´t get me wrong please !!!

This was developed by myself during almost 6 years and I´m still working on.

So this and others programs controls were done only to our internal use at this time. When finished could be available for download. But now unfortunatly is not available.

Regards

Oswaldo Paiva

Anônimo disse...

Good to know! Tell me when your done! I will buy it ! Tools to get our work easier are always appreciated! Great work!

Sophie

CORTE DE ORELHAS - SUA IMPORTÂNCIA NA RAÇA DOGO

Que o bem possa sempre vencer o mal. Que possa nos dar a proteção e força  que tanto buscamos para enfrentar os desafios pelos quais...