quarta-feira, 23 de setembro de 2009

DOGO CAÇADOR - Parte V Final




" O tempo anda pouco e com isso demos um intervalo...mas, como de costume, já estamos retomando a pleno vapor as nossas postagens. Não da para ficar muito tempo longe...

E com algumas novas novidades para breve !!! "


SUBMISSÃO

Esta é a máxima expressão de nobreza do Dogo Argentino.



Não é humilhação, nem medo, nem sequer tem a ver com obediência, e sim o reconhecimento do dono como o lobo Alfa da matilha. É ele que o guia, o mais forte de todos ( já que ele é o único que pode matar o Javali ) e o que cura as feridas. Assim é como os Dogos vêem o caçador. Esta qualidade se põe a prova quando um cão recebe as sérias feridas provenientes dos duros embates da caçada. O caçador será capaz de conter sozinho e a contento, tratar os cortes de emergência, religar vasos sanguíneos, suturar paredes musculares e reintroduziu as vísceras a suas cavidades.



Devera fazê-lo de forma rápida e sem utilização de anestésicos nem tranqüilizantes, já que pelo estado de choque em que geralmente encontram-se os cães, o tempo jogando contra, não será possível aplicá-los. Um bom Dogo permanecerá deitado junto ao seu amo, consciente que ele o esta tratando sem ocorrer jamais nem sequer um pequeno rugido que seja contra o mesmo.


A submissão total ao seu dono é outra característica que junto com as condições de valor já mencionada fazem do Dogo Argentino uma raça única no mundo por suas virtudes de caráter.




Muito Obrigado ao nosso amigo Patricio Ghigliani por dividor conosco sua experiência.


A reprodução integral ou parcial de textos originais deste blog depende de autorização prévia Lei 9.610, de 19/02/1998. Todos os Direitos Reservados

8 comentários:

Flávia disse...

Realmente eu não tenho essa coragem de ver o meu cachorrinho assim!
Esse homem é mesmo forte"!

Anônimo disse...

Ao anonimo ovelha nao e para mato...

edivaldo disse...

Senhor Caetano...então quer dizer que quando um presidente manda seus soldados para a guerra ele esta sedo covarde por não ir sozinho são vidas humanas que estão em jogo os caes são nossos soldados na natureza arriscam sua vida por nós.

ledran disse...

AO ANONIMO.isso mesmo coitadinho dos javalis, deixe eles destruirem sua lavoura matarem seus filhotes de ovelha e acabarem com qualquer cultivo agrícola.javalis são uma praga que servem unicamente pra destruir. É facil julgar quando se é leigo no assunto.

Anônimo disse...

eh um absurdo isso... tenho 2 dogos argentinos e nao uso eles p esse tipo d caça... sao cães amáveis, mas mesmo assim, há seres humanos q nao cansam d fazer maldades com seu próprios bichos - visto q eles ficam mto machucados, bem como com os animais q sao devorados pelos cães na caça! por que nao se ocupam d algo q realmente traga algum retorno e satisfaçao?

Anônimo disse...

Cada um tem seu território, se os javalis envadem e fazem o que fazem é porque nos os humanos invadimos primeiro seu territorio. O Dogo Argentino nao merece isso, e só os homens mesmo sao capazes de por um animal pra matar outro a troca de nada... Os javalis sofrem tanto quanto os dogos, poem a mão na consciencia e é isso que voces querem ver mesmo, sangue sobre sangue? Estou fazendo veterinaria e aceitaria cuidar de animais como os seus pra diminuir a dor, mais o respeito tem limite! Pq voces nao entram no mato e vão a maldita caça!

Anônimo disse...

violência só traz dor e sofrimento

Anônimo disse...

I isso que acontece quando so se pensa na Presa , eu pelo menos uso coletes de kvlar (mesmo material de coletes a prova de bala)e pescoceiras de 4 polegadas em meus dogos e tambem os vendo os mesmos em meu web site , jamais me perdoaria se um de meus caes se machucassem assim ,
so porque fui miseravel e nao gastei com a seguranca deles ,
sem meus caes nao tem cacada,
boas fotos
e sempre levem curativos e alicates de sutura nas cacadas , e se puder um Gel anestezico para diminuir a do

CORTE DE ORELHAS - SUA IMPORTÂNCIA NA RAÇA DOGO

Que o bem possa sempre vencer o mal. Que possa nos dar a proteção e força  que tanto buscamos para enfrentar os desafios pelos quais...