quarta-feira, 29 de abril de 2009

O que é ser um handler canino - Por Décio Salvatori

Diante do pedido dos meus amigos da raça Dogo Argentino, faço e envio estas linhas e aproveito para saudar a toda gente que dia-a-dia trabalha por nossos Brancos.

* Primeiro definamos o que é ser um Handler:

A grande maioria, diante desta pergunta possivelmente responderá “É aquela pessoa que sabe disfarçar os defeitos de um cão e ressaltar as virtudes do mesmo”. Ou como dissera JIM BENNET quando disse essa excelente frase em sua passagem por Buenos Aires: ”É quem tem a capacidade de resolver o absurdo imprevisível”.
Esta resposta me parece excelente, sobretudo para nós, os Argentinos que temos tanta capacidade de improvisar.

Com método e disciplina tudo de obtém, (tendo os conhecimentos de... e a constância), mas o que acontece quando algo que não estava na cartilha nos acontece? Das nossas experiências das apresentações somando nossa típica energia sairemos vitoriosos dessa possível situação.

Porém como poderemos fazer isso que tão fácil Décio relata?

Quando alguns de vocês se encontram dentro da pista e chega um momento que sentem que lhes faltam mãos para poder terminar de acertar esse cachorro, que ainda por cima não sei o que lhe passa que não fica quieto, que quer comer o cão do lado, que não deixar abrir a boca, que não, que não ... porque se em casa fazia 3 vezes no dia anterior e fazia isto quase bem.

Bem amigos, acima deverão ter lido sobre improvisar, mas não exageremos nesse ponto, “com jeitinho amarramos com arame e funciona, mas devemos saber que partes da peça precisamos amarrar”.

Para isso os passos são fazer um curso de fazê-lo de forma séria, praticar o que nos vão ensinando aula a aula... OK perfeito já sou um Handler, terminei o curso...

Não meus amigos, lamento dizer que por haver concluído a medicina ainda não são médicos, pois faltam alguns anos de residência para estarem encaminhados.
Por favor, não pretendo comparar ser um médico com um handler, porém acreditem que para ser o segundo requer ter um pouco de sensibilidade nas mãos e ser um tipo de artista que vai moldando breves formas nos cães.

Como antigamente se aprendia um ofício, aqui acontece algo parecido, busquem um BOM MESTRE ( Me refiro que saiba, que esteja disposto a ensinar e se tem gosto e conhecimeto pelo sua raça, melhor).
Ao que quero me referir com isso, muitas vezes grandes handlers fazem atipicidades de apresentação, mostram uma raça ou outra, um exemplo a curvatura (arco) do pescoço exagerado como se fosse Dobermann, movem os cachorros tão rápido como se fossem um
Afgan, ou levantam o rabo por cima da garupa mesmo que o standart marque que essa não é a posição correta.

Fundamental aprendermos sobre estrutura, nunca vou esquecer uma vez que eu mostrava um cão com excelente colocação de pescoço e por tanto eu sinalizava esse ponto ao Sr. Juiz.O que estava atrás de mim, ao ver fazê-lo, repetia o mesmo gesto, o único problema para ele foi que o pescoço do seu cachorro estava muito mal! Melhor escrito, pessimamente inserido, repito, aprendamos sobre estrutura.

Se alguém faz o que gosta, lhe sairá melhor, lhe colocaremos mais vontade ou não e não nos deixaremos vencer tão facilmente.

A respeito de apresentar Dogo Argentino, é muito fácil nas Especializadas e ao custo de parecer muito antipático direi o porquê:
“MUITOS JUÍZES ESPECIALISTAS OLHAM SOMENTE CABEÇAS”, por favor, não digo que não seja importante esse ponto, porém acreditem em mim, sem medo de me equivocar nisso, depois da cabeça continua um corpo e muitas vezes esse corpo pode chegar a ter uma soma de defeitos maior, que alguma falta - as vezes exagerada por gostos pessoais- do que vimos na cabeça. ( Com muito gosto, em outra oportunidade me aprofundarei nesse tema).

Se podemos estar por um tempo ao lado deste MESTRE trabalhando seria o ideal e no caso de não podermos por algum motivo, façamos bom uso do nosso tempo nas exposições, olhando os grandes handlers. Aprendamos com eles, e se depois de horas sentados em uma cadeira nesse dia de show, pudermos captar um detalhe, foi investimento de tempo.
Agora, se estivemos falando com o do lado, sobre o feio que é o cão do “fulaninho”, que “ciclaninho” vai ganhar a Exposição porque no ano passado o viram comendo um churrasco com o Juiz etc, etc, etc..., não somente deixamos de ver para aprender como não fizeram nenhum bem a raça ( com esses tipos de comentários).

Por favor, não me oponho a nos modernizarmos, mas encontro cada vez mais “Cyber Criadores” e menos os que passam noites nos partos e que juntam quilos de matéria fecal...
Queiram me desculpar por ter saído do tema, mas o Dogo Argentino é uma paixão, e somando-se a isso estou escrevendo esse artigo faltando poucos dias para o 25 DE MAIO ( Data que marca nosso nascimento como paíz, sendo que as intenções primárias não foram essas; o início do espírito de liberdade ficou impregnado).

Enfim volto ao tema Handler, com constância e humildade se pode obter a apresentação de um cãe de forma muito muito correta. Lhes convido a observar César Basone (Criadero Don Ata)e Cristian Galetto (Criadero Dogos Blender), proprietários que apresentam seus cães muito dignamente.
E vendo o outro extremo, em toda atividade quase sempre há um “Maradona”, pena que ame os Dobermanns e não os nossos Brancos; Me refiro ao Sr. William Pacheco, um virtuoso, um iluminado (invistam um pouco de vosso tempo num próximo show e olhem-o apresentar cães. São uma prolongação dele. Não são cachorro e pessoa, são um só. Se queremos ser os melhores, a isso que ele consegue, devemos apontar para obter o binômio.

Eu posso lhes acrescentar que handler não é somente a pessoa que sabe mostrar corretamente um cão. É quem além do mais tem conhecimentos sobre estrutura, temperamento, problemas de saúde dessa raça e se não o sabia se pôs a estudar para ser um time com seu cliente.
Handler é saber amar uma campanha, um ranking, é ser agente de marketing, ministro de relações públicas internas e externas. Handler é quem sabe cuidar, e nisso me refiro a um exemplar, um criadero.
É quem deixa um dono tranqüilo porque sabe que esse cão pode estar há milhares de Km tão bem ou melhor cuidado do que quando está na própria casa com seus donos.

Posso lhes seguir enumerando muitas coisas mais, mas a decisão de melhorar nas apresentações, devem decidir por vocês mesmos. Vão aos shows e observem, além do quê deve haver responsabilidade no trabalho, amor pelos cães, cuidado e ordem no acampamento ( limpeza), etc, etc, etc...
Se com este último já lhe parece demasiado, então contrate um handler que nunca nos queixamos por entrar um pouco mais de dinheiro.

Envio um grande abraço a família Doguera e os deixo com as palavras que darão início a um capítulo de handling para um livro de Dogo que um amigo está fazendo: “Meu corpo todo vibra diante de tanto cachorro junto.”



Décio Salvatori - http://www.deciosalvatori.com.ar/



Grato a Gacettilla Doguera
A reprodução integral ou parcial de textos originais deste blog depende de autorização prévia Lei 9.610, de 19/02/1998. Todos os Direitos Reservados

Nenhum comentário:

CORTE DE ORELHAS - SUA IMPORTÂNCIA NA RAÇA DOGO

Que o bem possa sempre vencer o mal. Que possa nos dar a proteção e força  que tanto buscamos para enfrentar os desafios pelos quais...